Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2016

influenciação

Imagem
em abril do ano passado compus a ’marchinha do buruca’ que começa com os versos ‘ô dida, ô dida cadê o meu anel de marcassita?’ mostrei ao maior compositor vivo de marchinhas felipe guaraná que logo me apontou a grande semelhança entre a melodia dessa parte e a de ‘mamâe, eu quero mamar...’
não vou lançá-la mesmo continuou valendo para mim o que estou dizendo é que as influências são inevitáveis se você leu algo e concordou se encantou com uma música se gostou de novas ideias de bons pensadores é natural que isso passe a fazer parte de você que veja as coisas sob esse prisma eternamente ajustável
o que é a opinião senão a conclusão a que se chega a partir do seus conceitos e da sua interpretação magnificamente mutantes? o que você é você aprendeu e aprende com os outros até sentimentos (sou flamenguista apaixonado mas se meu pai fosse bangu eu seria banguense roxo) é um processo inexorável
eu digo que poesia tem nada haver (e não ‘a ver’) porque o fato da ideia do nada existir (haver) gera esse vazio no coração dos ho…

mundos paralelos - dtv 42

Imagem
mundos paralelos

Sempre me senti meio fora da realidade, do conjunto das normas morais e comportamentais mais 'aceitas'. Minha perplexidade analítica entende que a realidade é tudo o que existe, o que se acha certo e o que se acha errado, bom ou ruim. Por causa de opiniões racionais e lógicas, dizem, pejorativamente, no cartório onde trabalho, que vivo em mundo paralelo. Não discordo, só faço um adendo: TODOS vivem em mundos paralelos, o mundo real absoluto não existe. Convivemos na intersecção entre os mundos de cada um. Basta ver o que cada um pensa de coisas não racionais, como religião, paixão futebolística, filosofia de vida, nível de hipocrisia utilizado em relacionamentos oportunistas etc. Quando me juntei ao Kareca, ao Wilson e aos demais arcanjos, percebi que minha 'esquisitice' era corroborada. O que uniu os colaboradores e os leitores do jornal foi essa 'perplexidade deustavênica'. Passei a ter orgulho da chacota. Meus dois livros publicados são perpas…