Postagens

Mostrando postagens de 2017

curta as influências

Imagem
curta as influências
em abril de dois mil e quinze compus a ‘marchinha do buruca’ que começa com os versos ‘ô dida, ô dida cadê o meu anel de marcassita?’
mostrei ao maior compositor vivo de marchinhas felipe guaraná que logo me apontou a grande semelhança entre a melodia dessa parte e a de ‘mamâe, eu quero mamar’...
não vou lançá-la mesmo continuou valendo para mim
o que estou dizendo é que as influências são inevitáveis se você leu algo e concordou se encantou com uma música se gostou de novas ideias de bons pensadores é natural que isso passe a fazer parte de você que veja as coisas sob esse prisma eternamente ajustável
o que é a opinião senão a conclusão a que se chega a partir de seus conceitos e de sua interpretação magnificamente mutantes?
o que você é você aprendeu e aprende com outros até sentimentos sou flamenguista apaixonado mas se meu pai fosse bangu eu seria banguense roxo é um processo inexorável
eu digo que poesia tem nada haver (e não ‘a ver’) porque o fato da ideia do nada existir gera esse vazio no co…

a essência do lirismo

Imagem
a essência do lirismo




todo poema que se preze pode abordar qualquer assunto dar uma opinião, denunciar, elogiar ou apenas permanecer quieto (essa é minha opinião, ou outro escreveria)
o que não pode faltar é uma disposição aguerrida (mesmo que pálida ou escondida) de renegar toda a tristeza e impotência sabendo que esses inimigos são imbatíveis e donos de seus tempos
para todas outras tarefas temos moldes artigo, ensaio, libelo, crônica, bate-bola... poema, não meu camarada, minha senhora poema é para esquecer que chora.

29.01.17

canteiro, julho 16

Imagem
o homem continua ruim
a sociabilidade é só o grande medo
sentido pelos mais fracos
a globalização não difundiu boas ideias e práticas
apenas fomentou a xenofobia e a intolerância
multiplicou lucros de corporações mundiais
(só na índia, há novecentos milhões de celulares ativos)
e distanciou ainda mais
os poucos muito ricos dos muitos muito pobres

o brasileiro é dos piores
faltam oportunidades
para que a maioria, que está fora da corrupção
seja também corrupta
basta dinheiro
para ser bajulado, invejado e até amado
não importando se a procedência é suja
que me desculpem os que têm crenças
mas esse tempo terrestre
é trocado barato
por trabalho para subsistir
(talvez, os coletores e caçadores
tivessem mais tempo livre)

como baratas em caixas de gordura
homens se acumulam em grandes centros
a desigualdade acirra a competição e a violência
que geram mais desigualdade
e jornadas de doze, catorze horas
incluindo o transporte público e o trânsito
o homem não usa bem seu espaço

a troco de quê?
as baratas, mais sensatas
vão à…

economia doméstica

Imagem
economia doméstica


era uma quarta saí do cartório e passei no bramil

queria comprar pão de forma água, manteiga, miojo... manter a casa confortável longe dessa gente doida por um desentendimento
contornei a praça atrás de uma caminhonete
havia duas vagas uma ao lado da outra no passeio-estacionamento
dei seta e aguardei enquanto a caminhonete estacionava
ao ameaçar entrar na vaga reparei que a caminhonete ocupara uns 40cm da (minha) vaga
se eu conseguisse entrar não conseguiria abrir a porta para sair do carro
abaixei a testa sobre o volante: lá em casa tem ainda manteiga e água para um dia miojo é só para emergências (preguiça) e pão de forma não faz falta: faço pão dormido na chapa
levantei a cabeça, vi pelo retrovisor que não havia carro atrás de mim desfiz a seta deixei para quinta e curti mais uma boa noite de carinho, tranquilidade e descanso
mais um dia sem desentendimentos.

04.07.2016<

crostite crônica

Imagem
crostite crônica


a distância entre a vida e a morte é de sete palmos somos da casquinha da crosta ínfima película da superfície
(segue em expansão o infinito)
muito tênue, o limite a gravidade que me segura na superfície é poder dar prazer saber que gosto de você e que você me permite
a vida quase não existe cada tentativa ejaculada de pus de espinhas, parasitas.

19.10.2015

querer mais que distração?

Imagem
querer mais que distração?

a grande maioria continuará acreditando que nos vigiam e julgam a trajetória
e continuará pedindo coisas como chuva em todo o fim de semana para regar três vasos de plantas que ficam na varanda do apartamento e se molham com um copo d'água se não houvesse tanta preguiça
a maioria se acha digna de bênçãos uns apoiados nos outros
estarão sempre fortes se entendendo superiores lastreados em historinhas infantis pré-platônicas
anteriores à babilônia quando não existia aço eletricidade, plástico mundo digital nada
você se desilude a fim de otimizar seu tempo com tarefas úteis perante o engrandecimento da ilusão do desprezo à inteligência
o preço é esse: você pode pensar quem sabe, que precisam e oferecer ajuda mas muita gente não quer ser ajudada muita, muita gente não é estimulada a querer preferir e muita, muita, muita, muita gente

entendendo pessoas (batera)

Imagem
entendendo pessoas (batera)


estilo, sim, é como bunda impressão digital a gente conhece o autor em poucas linhas mesmo em textos não escritos
cada versão, cada montagem do que se diz é sintomático, ficando quieto a gente já entrega o ouro
o carlos disse que o edinho esculpe em ‘tosco rupestre’
entretanto, o edinho é parnasiano.

ser teso

Imagem
ser teso

se quer continuar é preciso aprender a resistir aos primeiros ataques
o recém-desiludido revida é um reflexo uma reação à surpresa - tipo um palito na orelha um inseto no olho
suas certezas fazem parte do seu corpo como um estômago, um osso dói quando são destruídas
se quer continuar a conversa tem que esperar pelo revide (que costuma ser cruel, covarde inescrupuloso e defeso a desculpas) e prosseguir, depois do ataque na mesma linha de raciocínio não permitir que a mágoa desvie o foco
pode perder o que você ainda não tinha como perdido se quiser continuar
tudo depende, é lógico de sua posição na tabela em seu campeonato interno contra a misantropia - se vale o desgaste.

Por que poesia tem 'nada haver'?

o diabo turva a razão

Imagem
o diabo turva a razão

quem pensa um pouco enquanto vai se desiludindo se envergonhando das próprias crenças improváveis tende a se iludir ainda a achar que um dia a maioria pensará também
um princípio vital universal, a mutação impede que qualquer espécie ocorra de forma homogênea ao mesmo tempo o Homo sapiens conviveu com outras espécies de hominídeos os mais adaptados sempre vencendo
apesar de as religiões terem sido criadas antes da ciência antes que o homem tivesse condições de explicar o que não compreendesse só com os sentidos o homem é ainda muito merda para ser seu próprio mestre e senhor e precisa acreditar em ilusões para seguir se perdoando
mais velha que a ideia de religião
só a prática arraigada da hipocrisia.

pão e água (e vinho)

Imagem
pão e água (e vinho)


pode parecer muita crueldade mas a maneira mais eficaz de evitar o tempo perdido com insulto, lamúria e melancolia é o total rompimento
para tirar proveito dessa aparente grande quantidade supérflua de gente
há muitas outras pessoas não só amores, mas sócios, companheiros de labuta amigos, influências
parece egoísta? porém é o modo mais suave e sensível de tratar uma separação permitir que se livre de você deixando todos valentes precisando (ou se livrando) de elétrons
na última camada.

no jota silvestre

Imagem
no jota silvestre


prefiro prazer que causa fraqueza mulher lisinha fresquinha cheirosa de banho tomado, cabelo molhado vestido curto vertigem muito apreciada coice de arma alívio após o susto arroto de satisfeito choro de vencedor segredo gostoso revelado leite condensado gelado emergindo do furo do abridor água vibratória muito fria de cachoeira saída do trampolim
fraqueza que deixa forte brilhar é desaparecer devagar
a cena em que o jota silvestre apela pela última vez ‘se lembra de seu avô, morto há anos? ele também está aqui para abraçar você
essa é a sua vida, roberto! e sempre será vivo ou morto, onde estiver’.